Close

08/02/2018

Neste Carnaval caia na folia, mas seja consciente use camisinha e previna-se das DST!!!!!

Neste Carnaval e sempre, previna-se das DST

Neste Carnaval e sempre, previna-se das DST

Doenças sexualmente transmissíveis (DST), também chamadas infecções sexualmente transmissíveis ou doenças venéreas, são infecções causadas por organismos que podem ser transmitidos de uma pessoa para outra durante atividade sexual ou contato íntimo.

  
Como em muitos casos os sintomas são brandos ou ausentes, é possível a transmissão sem que as pessoas envolvidas percebam. Por isso, a triagem dessas infecções é importante para assegurar detecção e tratamento precoces. Exames para diagnóstico de DST são recomendados como rotina para adolescentes e adultos jovens, como também para idosos que possam estar em risco.
DST não tratadas têm consequências significativas a longo prazo. Podem causar esterilidade nos dois sexos. Em mulheres, podem evoluir para doença inflamatória pélvica, que aumenta o risco de gravidez ectópica. A infecção por papilomavírus (HPV) aumenta também o risco de câncer de colo do útero. Mulheres grávidas ou que pretendem engravidar devem estar cientes de que essas doenças não tratadas podem prejudicar o bebê. A triagem faz parte dos cuidados pré-natais de rotina. O principal modo de prevenção dessas infecções é o uso de preservativos durante relações sexuais.

As doenças sexualmente transmissíveis mais comuns estão relacionadas abaixo.

Infecções bacterianas

  • Clamídia (Chlamydia trachomatis) – É chamada “a epidemia silenciosa” porque é comum e muitas pessoas não sabem que estão infectadas. É uma doença bacteriana curada facilmente com antibióticos, mas pode ter consequências sérias se não for tratada.
  • Gonorreia (Neisseria gonorrhoeae) – Nem sempre causa sintomas, especialmente em mulheres, mas pode provocar esterilidade e outras complicações se não for tratada com antibióticos.
  • Sífilis (Treponema pallidu) – Infecção bacteriana que pode não ser percebida. O primeiro sintoma é uma ferida indolor no local da exposição, que desaparece espontaneamente. A sífilis é tratada com antibióticos. Se não houver tratamento, dissemina-se por todo o corpo durante muitos anos e causa lesões extensas de órgãos.
    Cancro mole (Haemophilus ducreyi) – Provoca úlceras genitais dolorosas com expansão para o linfonodos locais. É tratada com antibióticos.

Infecções por protozoários

  • Tricomoníase (Trichomonas vaginalis) – Em mulheres, provoca vaginite e uretrite. Em homens, pode ser assintomática ou causar uretrite. É tratada com metronidazol ou tinidazol.

Infecções por vírus

  • Papilomavírus (HPV) – É um vírus que infecta a área genital e, em alguns casos, provoca a formação de verrugas (condilomas). A infecção aumenta o risco de câncer de colo do útero. Existe uma vacina usada para a prevenção em mulheres.
  • Herpes simples genital – O vírus é responsável pelo surgimento de eritema e vesículas dolorosas recorrentes na região genital. Ele permanece para sempre no organismo. Alguns tratamento antivirais podem aliviar os sintomas.
  • Hepatite B e Hepatite C – São infecções virais que resultam em inflamação do fígado. Podem ser transmitidas por contato sexual, embora sejam mais comuns outras formas de transmissão. Os dois vírus provocam poucos sintomas durante a fase aguda, mas a infecção pode se tornar crônica, com lesão hepática progressiva. Existe uma vacina para a hepatite B, mas ainda não foi desenvolvida uma para a hepatite C.
  • Vírus da imunodeficiência humana (HIV) – O HIV causa a AIDS. Destrói células do sistema imunológico, diminuindo a resistência do corpo a infecções. Embora ainda não exista uma cura, o tratamento precoce com antivirais prolonga a vida.

Os parceiros de pessoas com doenças sexualmente transmissíveis devem ser notificados, examinados e tratados, mesmo que não apresentem sintomas.
  
Fonte: https://labtestsonline.org.br/conditions/doencas-sexualmente-transmissiveis