Close

11/05/2018

Exames Pré Natal

Exames Pré Natal

Exames Pré Natal

A gravidez é um período de muitas mudanças físicas e emocionais para a mulher. Tudo o que a futura mamãe faz ou deixa de fazer durante os nove meses de preparo para o parto tem grande influência na saúde do bebê. É por essa razão que é tão importante receber acompanhamento médico nos meses que antecedem o nascimento da criança e seguir o pré-natal à risca.

O acompanhamento pré-natal é importante para o rastreamento e o tratamento adequado de condições de risco para a futura mamãe e o bebê, sendo necessária a realização de diversos testes de análises clínicas.

Com o acompanhamento, a gestante pode se sentir mais segura sobre o que está acontecendo com seu corpo, com a saúde de seu bebê e se algum problema for identificado, pode receber os cuidados necessários para que ele não se agrave.

Do hemograma e da tipagem sanguínea, até o rastreamento de infecções, confira os testes indicados na gestação.

TESTES SOLICITADOS NA PRIMEIRA CONSULTA DE PRÉ-NATAL

  • Hemograma completo
  • Tipagem sanguínea (ABO e Rh) e pesquisa de anticorpos irregulares*
  • Glicemia de jejum
  • Sorologias para a pesquisa de infecções
  • Dosagem de TSH** para rastrear tiropatias
  • Colpocitologia oncótica
  • Urina tipo I e urocultura
  • Protoparasitológico de fezes

RASTREAMENTO DE INFECÇÕES

As infecções congênitas são causas relevantes de complicações durante o período pré-natal e, até mesmo, no pós-parto e na infância, aumentando a taxa de morbidade e mortalidade perinatal.

A consulta pré-concepcional constitui o momento ideal para avaliar e tratar as doenças, bem como para prevenir as que contam com vacinas disponíveis.

De modo geral, rastreiam-se HEPATITE B, RUBÉOLA, TOXOPLASMOSE, SÍFILIS e INFECÇÃO POR HIV, com repetição da pesquisa destas duas últimas no terceiro trimestre e no momento do parto.

Nas pacientes não imunes à TOXOPLASMOSE, a sorologia deve ser repetida em cada trimestre.

O rastreamento universal para o vírus da HEPATITE C é recomendado por algumas entidades médicas, enquanto outras o recomendam somente para pacientes do grupo de risco, como usuárias de drogas.

O rastreamento universal para CITOMEGALOVÍRUS também não é preconizado, mas deve ser realizado em gestantes que trabalham nas áreas da saúde e educação infantil, bem como nas imunossuprimidas.

Alguns obstetras têm incluído o teste do vírus da ZIKA no rol de exames pré-natal, para gestantes que não tiveram sintomas da infecção ou que não viajaram para áreas endêmicas.Os riscos relacionados a essa infecção durante a gravidez ainda não são bem conhecidos. Estima-se que a transmissão maternofetal ocorra em 14% a 30% das gestantes sintomáticas. Ainda não se sabe se esse risco varia conforme a idade gestacional, nem se é menor nas gestantes assintomáticas, que configuram a maioria.

 

O pré-natal funciona como uma medida eficaz para prevenir e identificar problemas de saúde ou complicações mais sérias que coloquem a vida da mãe e do bebê em risco. As visitas periódicas ao médico permitem monitorar o crescimento da barriga, as alterações de pressão da gestante, entre outras medidas que asseguram uma gravidez saudável.